Fome Emocional: Você Sabe Identificá-la?

Share Button

Vivemos em um mundo onde só há um parâmetro de beleza, e esse modelo é o ser magra!

Estamos rodeados de capas de revistas com famosas magras, de redes sociais, programas de televisão falando em como perder peso, enfim, diariamente somos bombardeadas com esse tipo de informação, não é mesmo?

O que é perfeito?

Qual é o parâmetro de beleza?

Se alguém é magro e gosta de ser assim, tudo bem, opção dela, cada um tem o seu biotipo e o seu objetivo de peso e que, com certeza conquistou o corpo com esforço e dedicação.

Saúde não é sinônimo de magreza, significa acima de tudo estar de bem consigo mesma.

E vamos combinar, nunca iremos nos sentir de bem com a vida se não olharmos com outros olhos e pararmos de nos comparar.

Claro, entendo que às vezes é necessário ganhar ou perder peso, mas precisamos ser coerentes, ganhar ou perder o que é necessário e ter a maturidade de saber manter o resultado, afinal, não dá para ficar a vida toda fazendo dietas, é necessário se reeducar e manter uma vida saudável.

A fome é quando o organismo gera sinais para desencadear a ingestão de alimentos, mas é importante que você saiba diferenciar a fome física (fisiológica) da fome emocional.

Quando como, o que sinto, o que identifico?

É prazer, conforto ou dor?

É uma recompensa depois de um dia de trabalho cansativo, ou uma compensação pela falta de atenção das pessoas que me rodeiam?

Será um calmante que uso quando estou ansiosa/o, um estímulo quando me sinto mal ou um afago à falta de autoestima e amor próprio? É o quê, afinal?

Só depois de se tomar consciência deste significado, desta associação entre comida e emoção, é que se pode começar a pensar no que se pode fazer para alterar esse comportamento.

E mais importante ainda: só após a descoberta deste significado é que vale a pena pensar se faz sentido ou não mudar esse comportamento.

Quero mudar? Quero transformar algo na minha vida?

Quero melhorar o modo como encaro as minhas experiências?

Melhorar a minha autoestima?

Desenvolver uma relação saudável com a comida?

fome física ou fome emocional

Tipos de fome:

A fome física, que pode ser chamada de fome fisiológica e a fome emocional, que é nossa fome psicológica.

Qual é a diferença entre a fome física e a fome emocional?

fome física aparece quando o corpo sente a necessidade de reabastecer as energias, e isso se dá através da alimentação.

Já a fome emocional não pode ser suprida com comida, sentimos um “vazio” tão grande que confundimos com fome.

Este “vazio”, muitas vezes, caracteriza-se por uma carência emocional ou porque estamos tristes, entediados ou com raiva de alguma coisa.

Para um emagrecimento saudável, é fundamental sabermos identificar cada uma. Comer é necessário quando se tem fome física.

A fome emocional deverá ser suprida com outras ferramentas e não a comida.

Como identificamos a fome física?

Para identificarmos a fome física, ou a chamada “fome do estômago”, é preciso ficar atento aos sinais que ela apresenta.

Muitas vezes sentimos uma “fraqueza” física, um desconforto, sinal do corpo pedindo energia. Outras vezes, o estômago ronca, muitas pessoas sentem uma leve dor de cabeça, a famosa “dor de cabeça de fome”.

Normalmente, a fome física vem aos poucos e vai aumentando com o passar das horas. Sentimos que estamos no controle da situação, sendo possível planejar a refeição seguinte.

Como identificamos a fome emocional?

Sentimentos como tristeza, raiva, frustração, ansiedade são alguns desencadeadores da nossa fome emocional.

Normalmente, ela aparece repentinamente, junto com a sensação de urgência, de necessidade de comer alguma coisa naquele exato momento.

E você sente vontade de comer alimentos mais calóricos, ricos em gordura e açúcar, que falsamente trazem mais prazer.
A fome emocional não deve ser simplesmente ignorada, mas trabalhada. Viver as emoções e não descontar na comida.

A comida, muitas vezes, causa uma sensação de alívio imediato, mas não a longo prazo.

Após comer por fome psicológica, vem a sensação de culpa por ter comido, a sensação de fracasso, e isso nos deixa com mais fome psicológica.

O grupo musical Titãs é muito feliz na letra da sua música “Comida”, quando nos questionam:

“Você tem fome de quê”?

Veja este pequeno trecho:

“A gente não quer só comer

A gente quer prazer

Pra aliviar a dor…”

Partindo do princípio que fome é uma necessidade orgânica e fisiológica e que comida é a energia que precisamos para manter nosso corpo vivo e funcionando, confira cinco dicas para driblar a fome emocional.

Quando identificar que está sentindo fome e que esta fome está longe de ser fome fisiológica, procure fazer algo para se distrair:

1 – Se está sentando em frente ao computador e se sente entediado, em vez de buscar aquele “ bombom” na gaveta, levante-se e dê uma caminhada pelo corredor.

2 – Quando estiver em meio a uma atividade que traz um certo grau de irritação, em vez de descontar na comida, permita-se fazer um intervalo, levante-se da mesa, converse com o colega. Isso trará uma sensação de alívio e relaxamento.

3 – Invista em alimentos ricos em triptofano, magnésio, cálcio, vitamina B6 e ácido fólico. Nutrientes que ajudam no relaxamento e a driblar o estresse. Consuma alimentos como banana, leite desnatado, cacau, carnes magras, aveia.

4 – Saboreie o alimento. Se der vontade de comer um doce em meio à fome emocional, permita-se comer um pedaço, mas deguste. Por exemplo, se for um chocolate, experimente deixar ele derreter em sua boca, não mastigue. Vai durar mais tempo em sua boca e vai lhe trazer mais sensação de prazer.

5 – Tenha horários estabelecidos para as refeições. Assim fica mais difícil comer “fora de hora”.

Praticar atividade física ajuda a diminuir a fome emocional?

Ajuda a liberar serotonina, que diminui muito o estresse e ajuda a controlar a fome emocional.

Quando bate a fome emocional, é possível contê-la sem comer?

Com certeza. O primeiro passo é identificar qual fome está sentindo. E quando for fome emocional, viva as emoções ao invés de descontar na comida.

CONCLUSÃO:

Sentir-se feliz com seu corpo e consigo mesma é um fator fundamental nos dias de hoje, mas muitas pessoas até fogem dos espelhos, pois vivem uma dura guerra com a balança e seu corpo.

Emagrecer não é sinônimo de dietas restritivas, por isso a ajuda de profissionais da área ajudará a encontrar um equilíbrio, pois perder peso não é nada fácil, mas manter-se saudável depende da aquisição de novos comportamentos.

Nutrição não é sinônimo de dietas da moda, e sim de escolhas alimentares saudáveis para uma vida feliz.

Luciana Sampaio

Luciana Sampaio - Nutricionista Esportiva e Coach www.facebook.com/nutrilucianasampaio // lusampaionutri@gmail.com // Celular: (21) 98181-1047 /

gordura saudável
Gordura faz bem e deve fazer parte da sua alimentação
fome emocional
Fome Emocional: Você Sabe Identificá-la?
alimentação intuitiva
Alimentação Intuitiva: Ouça seu Corpo e Pare Já Com as Dietas
dieta vegetariana
Dieta vegetariana: mitos e verdades
Aprenda a fortalecer os joelhos com yoga
Déficit de natureza afeta a saúde das crianças
florais de bach
Equilibrando as emoções com florais de Bach
check-up regular
A importância do check-up na prevenção de doenças
pilates e corrida
Pilates e Corrida: uma combinação eficiente
defesa pessoal
Defesa pessoal para mulheres
bike-friendly
Conheça as 20 cidades mais bike-friendly do mundo
tipos de yoga
Tipos de Yoga: Descubra qual combina mais com você
psicoterapia
Psicoterapia Vibracional: reencontre sua essência
3 dicas para transformar um fracasso em oportunidade
alimentos processados
Alimentos processados: por que fugir deles?
Cosméticos: veja como se cuidar sem crueldade
aulas gratuitas de tênis
Aulas gratuitas de tênis em São Paulo
produtos orgânicos com a komborgânica
Produtos orgânicos mais acessíveis com a Komborgânica
Aulas de culinária vegana
Aulas de culinária vegana gratuitas em São Paulo
Cozinha colaborativa
Pague o quanto quiser na cozinha colaborativa da Ecozinha
Ashram Vrajabhumi
Festival de 25 Anos do Ashram Vrajabhumi
Retiro de Yoga e Equilíbrio Emocional na Serra
yoga
Yoga de vários estilos na Conferência Carioca de Yoga
Corrida do Bem
Participe da Corrida do Bem no Rio de Janeiro

Receba nossas newsletters

Cadastre-se para receber as matérias do Leve pra Vida por e-mail.
Nome
E-mail
Secure and Spam free...